Chi Kung “Qi Gong” é a técnica de respiração chinesa milenar onde os fundamentos da filosofia taoista, baseados na alternância, permitiam cada princípio; possui mais de 3.000 técnicas diferentes, existindo vários Chi Kung com aplicação mais terapêutica e ou marcial.

A técnica do Chi Kung tem como princípio básico a ligação harmoniosa entre nosso corpo e nossa mente, fazendo circular nossa essência (Chi) em todo corpo.

Mestre Adriano D’avila
Programa vida e saude 22/11/2009

Pontos importantes:
Coluna reta, cabeça e pescoço levemente relaxados tendo uma sensação que o topo da cabeça estica até o céu.
Olhos entreabertos.
Língua no palato duro.
Coluna alongada, com o peito aberto e relaxado.
Dedos das mãos relaxados e levantados abertos, o polegar e o indicador devem estar mais abertos, a “boca do tigre” deve estar aberta.
Joelhos relaxados e soltos.
Pés paralelos e firmes ao solo.

Além da postura o treino do Chi Kung exige a escolha da melhor hora. Com o horário correto o resultado dobra. De uma forma geral, o melhor horário para treinar Chi kung é o das 03 às 07 horas da manhã e ou 17 às 19 horas, respeitando sempre as condições de saúde de cada praticante e também os ciclos da natureza.

Relaxamento e Tonificação dos Músculos e Ossos Através do Tai Chi Chuan
Tornar nosso corpo mais forte e mais flexível é um presente que o Tai Chi Chuan, praticado com regularidade, lhe dá. Além de ser útil contra as doenças dos órgãos e dos sistemas internos, seu impacto mais imediato se dá sobre partes do corpo envolvidas no movimento – ossos, músculos, ligamentos e tecidos a eles relacionados. Os chineses devotaram séculos de estudo ao desenvolvimento de exercícios que tornam essas estruturas fortes e as curam quando danificadas.
Os movimentos de Tai Chi Chuan envolvem cada articulação importante do corpo. A prática regular de Tai Chi Chuan mantém tanto os ossos como as articulações saudáveis. Esse método chinês clássico de exercício é, portanto, um dos melhores meios de prevenir a artrite.

Muitas pessoas que já desenvolveram a artrite ainda podem ser auxiliadas pela prática de Tai Chi Chuan. A eficácia do exercício dependerá de quanto a doença progrediu e que articulações foram afetadas. Você deve fazer Tai Chi Chuan apenas se conseguir fazê- lo sem nenhuma dor.

Quando a artrite é moderada, a maioria das pessoas não sentirá dor excessiva ou rigidez, e poderá usar o Tai Chi Chuan como forma de terapia.

A prática de Tai Chi Chuan nesse estágio auxiliará a promover sua saúde global, assim como a mobilidade de suas articulações. Mas a inflamação nos joelhos, na região lombar, no sacrilíaco ou em outras articulações que participam ativamente no exercício, pode ocorrer apenas para intensificar a dor. Os pacientes que têm dor nessas articulações podem querer submeter à prova o exercício durante um período de tempo sob rigorosa supervisão médica. Se eles se adaptarem bem e não experimentarem efeitos negativos, poderão prosseguir e esperar bons resultados.

Alguns artríticos sentem dores no início, porém mais tarde a dor diminui e há uma melhora global. Contudo, se seu estado parece estar piorando em conseqüência do exercício, não deixe de levar isso em consideração. Interrompa o exercício – pelo menos temporariamente.

Respiração chinesa e asma
Muitos pacientes que vêm sofrendo há muito tempo de bronquite crônica ou asma bronquica desenvolvem, aos poucos, sintomas de deterioração em sua função pulmonar, diminuição da capacidade vital e dispnéia. Quando passam a fazer exercícios ou trabalho físico, sentem dificuldades respiratórias.
Seus problemas se devem à irritação crônica que, com o muco, provoca obstrução nos tecidos dos brônquios e brônquiolos. À medida que eles se tornam obstruídos, mais estreitos e menores, sua contração faz a passagem do ar ficar mais difícil ainda. Nesse estágio, o paciente começa a ter dificuldade de exalar. Em conseqüência, a pressão aumenta nos alvéolos, o saco de ar de paredes finas onde ocorre a troca de oxigênio e de dióxido de carbono. Os tecidos se tornam fracos e menos elásticos. Isso conduz a uma avaria na estrutura dos pulmões que apresentam enfisema adquirido.

A deterioração da capacidade respiratória pode complicar-se com doenças infecciosas – como a pneumonia – que comprometem o trato respiratório. Durante um período de tempo, a função cardíaca também pode ser adversamente afetada e, por fim, pode sobrevir uma doença cardíaca. Muitas vítimas de doenças respiratórias podem ser auxiliadas pelo exercício de cura.

Os exercícios respiratórios chineses fornecem uma série de vantagens positivas para os pacientes com enfisema pulmonar.

Em primeiro lugar, eles fornecem os músculos envolvidos na respiração, especialmente o diafragma. Por ter perdido um pouco de sua expansibilidade em razão do intenso esforço, o diafragma necessita de ajuda para readquirir sua mobilidade. Contudo, uma pequena melhora no diafragma pode significar um grande lucro a respiração.

Esses exercícios ajudam a desenvolver o hábito da respiração abdominal, um método que se caracteriza por uma inspiração e expiração longa, lenta e profunda. Os pacientes com enfisema pulmonar tendem a respirar de um modo superficial e rápido.
Utilizando fundamentalmente os músculos toráxicos. Essa respiração curta e rápida não só é insuficiente para permitir uma passagem adequada de ar pelos pulmões, como tende ainda a produzir tensão e fadiga nos músculos toráxicos. A respiração abdominal auxilia e elimina esses problemas e facilita a troca de oxigênio e dióxido de carbono.

Além disso, os exercícios respiratórios ajudam a reduzir a tensão muscular e relaxam tanto o corpo como a mente.

Arte Marcial Chinesa e patologias do sistema nervoso
As enfermidades que acometem o sistema nervoso provocam um conjunto muito mais numeroso de sintomas do que aquele provocado por outras doenças que se manifestam em outros sistemas do organismo.

Desde a apatia em relação à vida, a anorexia e a insônia que caracterizam a pessoa deprimida, até uma real incapacidade de caminhar, os distúrbios do sistema nervoso causam sérios e desagradáveis impactos em nossa vida. Contudo, quer se tratem de problemas comuns – como insônia ocasional – ou problemas de locomoção, ou de sérios danos resultantes da poliomielite e de lesão espinhal.
Nos últimos anos, os chineses têm usado amplamente e com muito êxito o Tai Chi Chuan no tratamento da depressão. Esse exercício oferece benefícios especiais porque busca a tranqüilidade mental e emocional. Ele requer total concentração, de modo que o corpo se torna o que a mente imagina. Por força de suas exigências mentais e espirituais, o Tai Chi Chuan condiciona o sistema nervoso e ajuda a desenvolver sensações de tranquilidade e paz. Após um razoável período de prática, o Tai Chi Chuan muitas vezes proporciona a cura de perturbação e irritabilidade mental.

De certo modo, o Tai Chi Chuan não é muito fácil de aprender e exige algum tempo para que nos tornemos hábeis em sua prática, mas vale a pena. A melhor maneira de aprendê-lo é seguir a técnica passo a passo – desde o mais simples até o mais complexo, do mais fácil ao mais difícil. E enquanto você estuda e pratica, tenha em mente três palavras-chaves que descrevem os movimentos do Tai Chi Chuan: calma, relaxamento e lentidão.

Além das técnicas de Tai Chi Chuan como auxiliar nas enfermidades do sistema nervoso, temos as técnicas de Kung Fu que trabalham o corpo com a mesma consciência corporal e mental, porém o relaxamento e lentidão não existem, as técnicas de Chi Kung existentes catalisam a atenção do sistema nervoso através do controle dos órgãos internos (coração, pulmões, fígado, rins, estômago) e das emoções (alegrias, tristeza, medo, reflexão, raiva).

O domínio emocional passa a ser o grande desafio do praticante de Kung Fu assim como de qualquer arte marcial chinesa, “o maior guerreiro não é aquele que vence mil guerreiros e mil batalhas mas aquele que vence a si mesmo”.

Por que todas as seqüências do estilo Yang começam e terminam no mesmo lugar?
As seqüências do estilo Yang começam e terminam no mesmo lugar, para preservar o princípio básico do Tai Chi Chuan, que é o da circularidade. Tudo inicia e termina no mesmo ponto,a forma do símbolo Yin e Yang representa claramente o conceito básico do Tai Chi Chuan.

O estilo Yang tem raízes na filosofia do Tao,que prega a mutação eterna.A mudança eterna, a mudança das coisas deve ser observada e seguida.Na natureza as mudanças são semelhantes, tudo tem inicio e fim e normalmente o que vem da terra , a ela retorna.

O Tai Chi Chuan não é diferente e faz parte da natureza.O estilo Yang aprendeu este principio e aplicou nas suas seqüências sinbologicamente, executando-as no sentido de que o inicio seja o mesmo lugar do fechamento.

Outros estilos também têm esta preocupação,principalmente nas artes marciais de estilo interno, com isso o estilo Yang demonstra uma preocupação filosófica e estética.

Heron Nunes Estrella